1. Atividades de Verão

11695767_778179738970138_3512774163504500974_nComo Agosto é o mês de Verão e dado que o Centro se encontrava de “férias” das atividades regulares habituais, percebemos que algo deveria ser feito de forma a preencher este tempo a “meio gás” de todos aqueles que pelo Centro vão passando. Assim foram planeadas as Atividades de Verão, que tiveram lugar sempre às Quartas-feiras entre as semanas de 22 de Julho a 26 de Agosto.

O ambiente foi sempre muito positivo e cativante, desde a primeira sessão com as saborosas pizzas feitas por todos e que nos proporcionaram um fantástico lanche, às alterações que com a customização de roupa aprendemos a fazer, dando largas à criatividade de todos os que participámos.

Terminado este ciclo com sabor a praia, o sentimento que permanece é a de “dever cumprido”, dado que se conseguiu aliar a vertente pedagógica ensinando sempre algo a quem veio participar nas atividades, com a vertente mais lúdica e descontraída, tornando o ambiente familiar do Centro ainda mais convidativo.

Ficaram as aprendizagens, a vontade de aprender mais, e o desejo de que o calor do próximo Verão venha rápido.

 Ricardo Baptista Dias sj

2. Os “projetos de vida” no Centro

IMG_3605Quem visita ou passa pelo Centro à Sexta-feira de manhã já se habitou a ver toda a equipa técnica “fechada” na sala atrás da entrada, ora conversando com calma ora discutindo com calor, durante todas essas horas. São as habituais “reuniões de equipa” semanais, onde para além de (muitas) outras coisas da vida do Centro, se debate e faz ponto de situação do chamado “projeto de vida” de cada utente ou família. Numa semana os internos, noutra os utentes de refeição, noutra ainda as famílias de cabaz, assim se percorre, uma vez por mês, cada um destes grupos apoiados pelo Centro.

Para quem está menos por dentro destas coisas, o “projeto de vida” (PV) é o eixo estruturador do percurso de cada pessoa no Centro. Delineado conjuntamente com o utente ou família em questão, o PV é o horizonte da intervenção, o “para onde” cada um caminha. Obter a autonomização por emprego ou pelo menos recuperar a prestação RSI, tratar dos problemas de saúde ou arranjar os dentes (essencial para muitos empregos!), conseguir o reescalonamento de dívidas ou obter nova Autorização de Residência (no caso dos estrangeiros), estas são algumas das muitas dimensões de cada PV, objeto do empenho da pessoa e da disponibilidade da equipa em acompanhar esse processo.

Por isso cada utente ou família tem um “gestor de PV”, o técnico psicossocial que mais de perto o/as acompanha, qual “acompanhante pessoal” que ajuda a desenvolver competências e a resolver dificuldades. Quanto aos outros técnicos (nomeadamente jurídico e de emprego), eles são “gestores de tarefa”, intervindo a nível prático nesse âmbito concreto e estando em constante contacto com o “gestor de PV”. Toda a ação da restante equipa e dos voluntários acaba por estar igualmente em estreita sintonia com o PV, assim se conseguindo a colaboração de todos para um acompanhamento efetivo, próximo e articulado de cada caso. E é um gosto cada vez que um PV se concretiza, é para isso na realidade que o Centro existe: para que, precisando inicialmente de nós, cada pessoa e família ajudada deixe de precisar de nós; e esse acaba por ser a melhor alegria que nos podem dar!

A equipa

3. Rearranque do ano

12027739_815383231916455_2324903355190630276_n12039616_815383218583123_8638909594962810292_n12039694_815383235249788_5208263804423521015_nA chegada do Outono traz sempre consigo o recomeço das atividades e formações no Centro. E por isso no dia 14 de Setembro demos reinicio às nossas atividades, que pretendem não só capacitar em novos conhecimentos e estimular hábitos saudáveis, mas também potenciar a integração social dos nossos utentes. Todas as atividades são dinamizadas por voluntários, que generosamente oferecem o seu tempo e o seu saber para ajudar os outros. É grande a variedade de atividades que recomeçam: o tai-chi, a musica, a informática, o português, o inglês, o cinema e os 30 minutos com Deus.

Paralelamente a estas atividades de carácter lúdico-pedagógico, iremos dar início ao ciclo de formações transversais que acontecem quinzenalmente, dadas pela equipa e com pessoas convidadas de outras instituições. Elas são mais um instrumento de capacitação, dando noções básicas – entre outras temáticas – de cidadania, relações humanas, saúde, organização habitacional, espiritualidade, técnicas de procura de emprego e prestações sociais.

Finalmente, este ano o Centro irá contar com uma animadora sociocultural, no âmbito de uma medida do IEFP, e começarão novas atividades livres de cariz lúdico que promovem competências transversais e criam dinâmicas que permitem aos utentes conhecer novas formas de ocupar o tempo, estruturar rotinas e criar laços de convivência que se tornam significativos.

Mais um ano que promete…. na construção de mundo melhor!

Paula Ferreira