1. Campanha Pingo Doce 2016

No fim-de-semana de 5 e 6 de Novnovo-documento-do-microsoft-publisherembro realizou-se a Campanha do Pingo Doce do nosso Centro. Para mim foi um prazer participar na campanha de recolha de alimentos. Foi a primeira vez que fiz esta campanha, apesar de já ter feito ações semelhantes com outras associações.

Para mim é sempre uma posição difícil, esta de estar a pedir a quem entra num supermercado que dê um pouco daquilo que tem a alguém que também precisa, principalmente porque sabemos bem que hoje em dia, feliz ou infelizmente, estas campanhas são constantes. No entanto, deixa de nos custar quando vamos ao fundo da questão e relembramos o sentido de estar ali – a missão do Centro, que é ajudar realmente quem precisa!

Durante a campanha assisti a pequenos momentos que me marcaram muito. Várias são as mães que nos diziam que não, mas depois eram convencidas pelos filhos pequenos, porque são eles próprios a querer ajudar; outras vezes, pessoas que já pouco têm, mas mesmo assim quiseram partilhar o seu pouco com outros; e, também, pessoas que ficam surpreendidas com o projecto de capacitação e têm gosto em contribuir.

No fim de tudo, perceber que o pouco que cada um pôde dar, faz a riqueza de alguém que vai receber estes bens.

                                   Carlota Lobo| Professora Voluntária de Português

 

2. Relações Humanas e Gestão de Conflitos

rh-e-gcSe partimos da ideia de que “é impossível não comunicar” e de que é justamente “por falar a mesma língua que nos desentendemos”, compreendemos a complexidade das relações humanas tantas vezes influenciadas pelas omissões, pelos silêncios, pelos juízos de intenção, mal entendidos, expectativas desajustadas, falta de aceitação…Por isso, reconhecemos a pertinência de abordarmos estes temas, numa tentativa de fazer trazer ao consciente aspetos que, frequentemente, atuam ao nível do inconsciente ou do subconsciente, porque a comunicação requer atenção, inclusive no que julgamos não dizer.

Um dos aspetos que consideramos essenciais no Centro é a integração dos utentes na vida comunitária e o desenvolvimento de competências sociais e relacionais. Assim, para além das atividades diárias lúdico-didáticas que desenvolvemos, dinamizamos formação sobre a importância das relações humanas e a gestão de conflitos, que se constituem como importantes momentos de partilha, de comunicação e de interação entre os utentes. Na formação realizada em Novembro, um dos utentes participantes dizia: “é engraçado como é no contacto com os outros que descobrimos mais sobre nós mesmos e sobre a nossa forma de ser e de estar”.

Este tipo de iniciativas são ferramentas significativas para o acompanhamento e definição do plano de intervenção a realizar com cada utente.

                                                              Rita Santos| Gabinete de Psicologia

 

3. Atividade “Sons, Saberes e Sabores” – Workshop de Culinária

No dia 10 de Novembrsons-saberes-e-saboreso realizei um workshop de culinária. Como fui pasteleiro durante muitos anos, gosto de fazer doces. Escolhi a receita dos miminhos de côco, porque é barata, fácil de fazer e até é saudável. Todos precisamos de algum doce na nossa vida.

É bom partilhar com todos, pois esta arte já nasceu comigo e ensinar a outras pessoas, portuguesas e estrangeiras é uma grande riqueza quer para mim quer para quem veio ao workshop. Partilhamos muitas ideias e formas de fazer.

Como agora não estou a trabalhar foi uma forma de colocar em prática os meus conhecimentos. É uma grande valorização para mim e foi uma grande satisfação ver os participantes deliciados com o resultado de uma receita simples e, claro, a prova.

                                                                      Ernesto Marrafeiro| Portugal