Month: November 2014

Editorial

“O caminho faz-se caminhando”

Eis que tem à sua frente o primeiro número da Newsletter do Centro Comunitário São Cirilo. Com ela queremos dar mais um passo neste projeto, de forma a abrir mais um espaço de comunicar o que pelo Centro vai acontecendo.

Foi já há 4 anos que o São Cirilo abriu as portas, com uma equipa esforçada e valorosa. No ano passado percebemos a necessidade de algumas mudanças na organização, de forma a servir melhor a missão principal do Centro, que mais do que o apoio de emergência, confirmámos ser a capacitação e reintegração das pessoas e famílias que apoiamos (em alojamento, refeições e cabazes).

Todas as semanas, na já habitual reunião técnica das sextas-feiras de manhã, examinamos procedimentos e dificuldades, tentamos detetar e corrigir falhas, discutimos casos e abordagens, alegramo-nos com as autonomizações e perguntamo-nos, no caso das desistências, se algo poderíamos ter feito de diferente.

Esta é missão que tem muito de cansativo, sem dúvida a estabilidade e a rotina seriam mais fáceis. Mas é missão que tem também muito de desafiante, pois cada situação pessoal que acompanhamos é diferente e única, com circunstâncias sempre difíceis e sempre em mudança. E por isso é trabalho também compensador. Não é essa no fundo a grande decisão da vida: ficar-se pelo conhecido e pelo estável, ou empenhar-se no novo e no que faz crescer? Que Deus e São Cirilo continuem a iluminar a missão do Centro. E que os relatos abaixo nos inspirem, a todos sem exceção, a continuar a fazermo-nos ao caminho.

P. Filipe sj

Breves do Centro

1. Equipa renovada no Centro

Quem nestes dias vier ao Centro, encontrará todo um conjunto de caras novas. E talvez a primeira seja logo a Dra. Paula Ferreira, a nova diretora do Centro. A Paula tem 44 anos, é formada em Sociologia, e tem uma grande experiência na área social do Porto, tendo trabalhado vários anos no projeto “Escolhas” no bairro do Lagarteiro. Estas semanas têm servido para o P. Filipe lhe passar uma série de pastas, e a transição está a correr muito bem. O P. Filipe permanece Presidente da Direção, e muito próximo da vida do Centro.

Chegou, para além da nova diretora, um novo jurista, o Pedro Ferreira da Silva, com 28 anos, grande interesse e já alguma experiência nestas causas sociais. Outra entrada foi a de um novo “ajudante de lar”, o Sr. Aníbal Nogueira (54 anos), que veio alternar turnos com o Sr. Orlando na supervisão do Centro às noites e ao fim de semana. A quarta aquisição da equipa foi o Ricardo Baptista Dias, jesuíta em formação que veio para o São Cirilo fazer o seu tempo de “magistério”, 2 anos de trabalho prático entre os estudos de Filosofia e de Teologia.

Mas os rostos novos não ficam por aqui, pois na sequência da “Noite de Arranque” do Creu vieram também vários voluntários novos, que com muita disponibilidade se distribuíram pelas várias necessidades do Centro, desde as idas ao Pingo Doce (para recolher alimentos em fim de prazo) ao Banco de Roupa (com filas de espera cada vez mais longas). Vários ofereceram-se também para os apadrinhamentos (de proximidade, não financeiros), não só dos nossos utentes mas também num projeto do Alto Comissariado para as Migrações que está prestes a arrancar, o projeto Mentores para Imigrantes (mais informações aqui). E caso haja mais pessoas interessadas em ser nossos voluntários, pois é favor de nos contactar, são todas muito bem vindas.

2. “Jantar da Partilha”

Jantar da partilha

Foi em 1992 que as Nações Unidas declararam o dia 17 de Outubro “Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza”. Esse foi o dia, 5 anos antes, em que o P. Joseph Wresinski juntou 100 mil pessoas na Praça dos Direitos Humanos e da Liberdade em Paris, descerrando uma laje para que não seja esquecida a situação dos 860 milhões de pessoas que no mundo, não obstante os Objetivos do Milénio, continuam a viver abaixo do limite da pobreza. E todos os anos a comemoração desta data pretende recordar que este continua a ser um problema e um desafio para todos.

Associando-se a esta data, o Centro resolveu recomeçar o ano com um “Jantar da Partilha”. A pobreza tem sempre origem na falta de partilha, económica e não só. Por isso o Centro quer ser, cada vez mais, um lugar (“centro comunitário”) onde as diferenças se esbatem e a partilha e comunhão acontecem. Nas palavras de Madre Teresa, “tudo o que não se dá, perde-se”, e é universal a experiência de que “quanto mais se dá, mais rico se fica”.

E foi precisamente isso que aconteceu nessa noite de Sexta-feira, que apesar de chuvosa, juntou mais de 100 utentes, membros da equipa, voluntários e amigos da casa. Começámos como é habitual com uma missa, sempre concorrida e participada. Seguiu-se um jantar partilhado, com os pratos trazidos (a dobrar!) pelos voluntários, a sopa oferecida pelo Centro, e os doces feitos pela equipa. E concluímos com um animado serão onde várias utentes partilharam os seus talentos, da música à poesia, do conto ao teatro. Obrigado a todos por uma noite mágica e muito bonita (fotos aqui)!

3. Venda Natal 2014 no São Cirilo: fim de semana de 29 e 30 Novembro

Como em anos anteriores, vamos ter no Centro a jOLYMPUS DIGITAL CAMERAá tradicional “Venda de Natal”, com as banquinhas de artesanato e utilitários, bolachinhas e doces caseiros, produtos campestres e artigos de amizade, etc. Vai acontecer no fim de semana de 29 e 30 de Novembro (com abertura na Sexta 28), data que marca também o início do Advento (e início da iluminação de Natal na cidade). O programa musical multi-cultural está já a ser preparado, com várias atuações e grupos. Não se esqueça por isso de marcar já na sua agenda, será boa ocasião para ficarem já tratadas a maioria das suas ofertas de Natal. Informação mais detalhada seguirá em breve…

4. O São Cirilo nas redes sociais

É ao Ricardo sj que devemos toda a recente “animação internética” do São Cirilo. Para começar, a página do Facebook foi renovada (aqui), e já vai nos 800 “likes” (já pensou em lá ir e deixar o seu?). Nela vão aparecendo com regularidade notícias e fotos do que vai acontecendo na casa, é uma boa forma de ir mantendo amigos e visitantes a par. Cada semana está também a ser apresentado um membro da equipa, para que sejamos cada vez menos desconhecidos e cada vez mais comunidade unida à volta da mesma missão.

A saída desta Newsletter assinala também a inauguração do novo visual do site (aqui), com novas funcionalidades e conteúdos. O site pretende ser o “cartão de visita institucional” do Centro, com a descrição breve da história e da missão do Centro e ainda os seus documentos principais (nomeadamente os Planos e os Relatórios de Atividades). Para quem ainda não conhece o Centro e aquilo a que nos dedicamos, é uma boa porta de entrada para o descobrir.

A Newsletter, finalmente, pretende ser também um meio para dar noticias periódicas sobre o Centro. Terá para já com 4 secções: o “voluntariado do mês”, vídeo explicativo de um dos tipos de voluntariado incorporados na rotina do Centro; a “história do mês”, onde (também em vídeo) nos aproximamos da história de vida de uma das pessoas apoiadas; as “Breves do Centro”, com alguma noticias da vida da casa; e a “Atenção às Margens”, com novidades relativas ao mundo social da cidade, do país e do mundo. Criticas e sugestões à Newsletter e às outras ferramentas digitais são muito bem vindas!

História do mês

Num pequeno vídeo, somos convidados a percorrer a história de vida da Altina, uma das utentes do Centro São Cirilo.

Voluntariado do mês

A recolha de alimentos em fim de prazo no Pingo Doce é um dos diversos voluntariados do Centro São Cirilo. Neste vídeo, acompanhamos o exemplo da voluntária Fátima.

Atenção às margens

  1. Cortes de 40 % no Rendimento Social de Inserção nos últimos três anos

Algumas das pessoas e famílias que são ajudadas pelo Centro recebem o RSI – Rendimento Social de Inserção. Noticias recentes da OFAP –  Observatório das Famílias e das Políticas de Família indicam que esta prestação social, apesar de ser considerada a que maior impacto tem na redução da intensidade da pobreza, tem sido alvo de sucessivos cortes desde 2010, no número total de beneficiários e no montante das prestações mensais.

Segundo a OFAP, em 2013 existiam 360.153 beneficiários de RSI, menos 60.650 do que em 2012, e menos 165.860 do que em 2010. Por outro lado, “se em 2009 o primeiro e o segundo adulto do agregado familiar recebiam 187,18 € mensais, o terceiro 131,03 €, e, cada menor, 93,59 €, a partir de 2013, o primeiro adulto recebe 178,15 €, o segundo e seguintes adultos recebem 89,07 €, cada um, e as crianças e jovens 53,44 €”.

Contrariamente a um preconceito muitas vezes estendido de que o RSI cria subsidiodependência e deveria ser reduzido ou mesmo extinto, um interessante congresso organizado pela EAPN no final de 2013 no Porto veio mostrar como noutros países, e exceções à parte, uma prestação com um valor acima da linha de pobreza e com um bom acompanhamento das famílias (que se torna difícil quando os técnicos estão sobrecarregados) tem servido para faze-las sair rapidamente dessa situação. Mais informação aqui.

  1. Reagrupamento familiar responsável por 45 % das chegadas de novos imigrantes

Longe vão os tempos em que Portugal era um destino apetecível para estrangeiros em busca de trabalho. Entre 2012 e 2013, p.e., houve uma diminuição de 13,7% dos novos títulos de residência, referem dados do SEF – Serviços de Estrangeiros e Fronteiras. A crise económica levou a que a maioria das entradas de imigrantes em Portugal não seja por razões económicas, e o que se nota nos últimos anos é um aumento do peso das autorizações de residência por reagrupamento familiar.

Segundo números de 2013, os reagrupamentos representam 45% do total de novas autorizações de residência: foram 12.224 face a apenas 6.394 autorizações de residência por motivos de trabalho, num total de 26.593 novas autorizações de residência. O aumento dos reagrupamentos familiares “é um sinal de que a comunidade está estabilizada. Os que estão cá ficam por cá”, diz o sociólogo José Carlos Marques, da Universidade Nova de Lisboa. “A maior parte dos pedidos vêm de brasileiros e cabo-verdianos. O modelo clássico continua a ser mais o do homem que chegou primeiro, e que a seguir manda vir a mulher e os filhos” [adaptado de uma notícia do Público aqui]

  1. XXIX Encontro da Pastoral Social em Fátima

Decorreu de 9 a 11 de Setembro em Fátima o XXIX Encontro da Pastoral Social, que juntou mais de 300 pessoas ligadas a instituições sociais de matriz ou inspiração cristã (IPSS, Centros Paroquiais, Caritas Diocesanas, etc.). Orientado pelo documento “A Alegria do Evangelho” do Papa Francisco, o Encontro teve conferências e painéis dedicados a temas como “Fé e compromisso social”, “Ouvir o clamor dos pobres”, “O diálogo social como contribuição para a Paz” e “Bem-aventurados os portadores de brechas, porque deixarão passar a luz”.

Um dos traços comuns a todas as intervenções e debates foi a urgência de que, diante de tantas necessidades na atual conjuntura portuguesa, a fé continue a concretizar-se em gestos de mais e melhor ação e partilha, sejam eles de melhor organização das instituições, respostas criativas a necessidades novas, e voluntariado mais regular e comprometido.

© 2018 Centro Comunitário São Cirilo