Month: November 2016

Editorial

Advento, tempo de (voltar a) “implicar-se”

Tivemos há poucos dias a Assembleia Geral do Centro, onde debatemos e foram aprovados o Plano de Atividades* e o Orçamento para o próximo ano. É sempre uma reunião clarificadora e animada, pelo que tem de “paragem”, percebermos onde estamos, e também de “relançar rumos”, percebermos para onde queremos ir. E este ano, curiosamente, tem-me interpelado a quantidade de pessoas que fazem parte deste sonho-projeto: somos uma dezena na equipa, uma vintena nos Corpos Sociais, voluntários regulares são quase cem, há ainda um grupo crescente de generosos doadores. É bonito e chamativo como o projeto São Cirilo é cada vez mais de tantos, não só do P. Filipe, da Dra. Rita (a nova diretora), da equipa ou dos jesuítas do Porto, mas de tanta gente que nele se “implica” de tantos modos, em prol de quem o Centro tem ajudado e continua a ajudar.

E ao escrever o editorial para mais uma edição da newsletter, ocorria-me como isto tem tanto a ver com o “tempo de Igreja” que nestas semanas nos é dado viver. Recordamos a vinda de Jesus ao mundo, o seu nascimento num contexto simples e num canto afastado do Império. Poderia ter tido uma vida discreta, confortável, sem complicações. Mas a sua missão era outra, era mesmo “complicar-se” a vida, ao “implicar-se” com a mudança das vidas à sua volta. Fê-lo fielmente, com persistência, sem que as dificuldades e as resistências o desanimassem e afastassem deste caminho, e deixando que as necessidades que em cada momento encontrava lhe marcassem a orientação de cada dia.

Neste sentido, o Centro acaba por ser também uma forma de nos “implicarmos” e “complicarmos” a vida. Os artigos abaixo falam da última Campanha no Pingo Doce, com as fotos das diversas equipas, de quem optou por ter um fim de semana talvez menos descansativo mas seguramente não menos compensador. Falam de mais uma formação em Relações Humanas, que têm ajudado os utentes a perceber que a vida é não caminho solitário mas caminho partilhado e “implicado”, onde se valoriza e se é valorizado. Falam do último Workshop de Culinária que tivemos, mais um exemplo do que recentemente tem acontecido, pessoas ajudadas pela casa que querem, elas próprias, ajudar e partilhar dons e riquezas que também têm.

Que o Advento que agora começamos nos volte a confirmar isto mesmo. Que uma vida sem implicações-complicações é, quase sempre, mais cómoda e mais tranquila. Mas que uma vida com elas é mais completa e mais feliz. Bom tempo de Advento para todos!

* O novo Plano de Atividades pode ser encontrado aqui.

P. Filipe sj

Breves do Centro

1. Campanha Pingo Doce 2016

No fim-de-semana de 5 e 6 de Novnovo-documento-do-microsoft-publisherembro realizou-se a Campanha do Pingo Doce do nosso Centro. Para mim foi um prazer participar na campanha de recolha de alimentos. Foi a primeira vez que fiz esta campanha, apesar de já ter feito ações semelhantes com outras associações.

Para mim é sempre uma posição difícil, esta de estar a pedir a quem entra num supermercado que dê um pouco daquilo que tem a alguém que também precisa, principalmente porque sabemos bem que hoje em dia, feliz ou infelizmente, estas campanhas são constantes. No entanto, deixa de nos custar quando vamos ao fundo da questão e relembramos o sentido de estar ali – a missão do Centro, que é ajudar realmente quem precisa!

Durante a campanha assisti a pequenos momentos que me marcaram muito. Várias são as mães que nos diziam que não, mas depois eram convencidas pelos filhos pequenos, porque são eles próprios a querer ajudar; outras vezes, pessoas que já pouco têm, mas mesmo assim quiseram partilhar o seu pouco com outros; e, também, pessoas que ficam surpreendidas com o projecto de capacitação e têm gosto em contribuir.

No fim de tudo, perceber que o pouco que cada um pôde dar, faz a riqueza de alguém que vai receber estes bens.

                                   Carlota Lobo| Professora Voluntária de Português

 

2. Relações Humanas e Gestão de Conflitos

rh-e-gcSe partimos da ideia de que “é impossível não comunicar” e de que é justamente “por falar a mesma língua que nos desentendemos”, compreendemos a complexidade das relações humanas tantas vezes influenciadas pelas omissões, pelos silêncios, pelos juízos de intenção, mal entendidos, expectativas desajustadas, falta de aceitação…Por isso, reconhecemos a pertinência de abordarmos estes temas, numa tentativa de fazer trazer ao consciente aspetos que, frequentemente, atuam ao nível do inconsciente ou do subconsciente, porque a comunicação requer atenção, inclusive no que julgamos não dizer.

Um dos aspetos que consideramos essenciais no Centro é a integração dos utentes na vida comunitária e o desenvolvimento de competências sociais e relacionais. Assim, para além das atividades diárias lúdico-didáticas que desenvolvemos, dinamizamos formação sobre a importância das relações humanas e a gestão de conflitos, que se constituem como importantes momentos de partilha, de comunicação e de interação entre os utentes. Na formação realizada em Novembro, um dos utentes participantes dizia: “é engraçado como é no contacto com os outros que descobrimos mais sobre nós mesmos e sobre a nossa forma de ser e de estar”.

Este tipo de iniciativas são ferramentas significativas para o acompanhamento e definição do plano de intervenção a realizar com cada utente.

                                                              Rita Santos| Gabinete de Psicologia

 

3. Atividade “Sons, Saberes e Sabores” – Workshop de Culinária

No dia 10 de Novembrsons-saberes-e-saboreso realizei um workshop de culinária. Como fui pasteleiro durante muitos anos, gosto de fazer doces. Escolhi a receita dos miminhos de côco, porque é barata, fácil de fazer e até é saudável. Todos precisamos de algum doce na nossa vida.

É bom partilhar com todos, pois esta arte já nasceu comigo e ensinar a outras pessoas, portuguesas e estrangeiras é uma grande riqueza quer para mim quer para quem veio ao workshop. Partilhamos muitas ideias e formas de fazer.

Como agora não estou a trabalhar foi uma forma de colocar em prática os meus conhecimentos. É uma grande valorização para mim e foi uma grande satisfação ver os participantes deliciados com o resultado de uma receita simples e, claro, a prova.

                                                                      Ernesto Marrafeiro| Portugal

Vídeo do Mês

Almoço Temático do Bangladesh

“…gosto de aprender mais sobre comida portuguesa.”  Islam Gazi

Atenção às Margens

Links de Interesse

Integração de refugiados: há falhas no ensino de Português

Qualidade de vida dos portugueses melhorou em 2015

No próximo mês acontece…

14.Dez – Formação “RSI” (utentes)

14.Dez – Lanche das Atividades (utentes, voluntários e equipa)

16, 17 e 18.Dez – Venda de Natal (aberta a todos)

23.Dez –  Almoço de natal (utentes internos e de refeição, equipa e voluntários)

© 2018 Centro Comunitário São Cirilo