1. A Casa vai a Casa

11245793_750419295079516_7819166320971732384_n No dia 12 de maio “A Casa veio a Casa”! No âmbito de um projeto da Casa da Música, recebemos 2 músicos (Paulo Neto e Bruno Esquível) que vieram ao Centro realizar um workshop em que tocámos, cantámos e fizemos muita música com as mãos, corpo e letras. Apresentámo-nos dizendo os nossos nomes a cantar e, de repente, tínhamos a sala cheia de sopranos e barítonos!

Mas foi quando o microfone começou a passar de mão em mão que a audiência se revelou como verdadeiros músicos em potencial. Cantámos músicas portuguesas, canções de infância e de outras nacionalidades. E mesmo quem não se atrevia a cantar, não resistia a baloiçar o corpo ao som das músicas, do piano e do tambor.

Terminámos com uma música de infância brasileira acompanhada por gestos e a abraçarmo-nos… a música naquela tarde alegrou-nos e percebemos que quem “canta” por gosto não cansa!

Mónica Maruny

2. Visita a Serralves

IMG_2638Como medida de carácter motivacional, organizou-se um pequeno grupo de sete pessoas para visitar o Museu de Serralves.

Na primeira parte da visita, vimos o museu onde estava uma exposição de uma artista polaca onde por intermédio das suas obras retorcidas em ferro, faziam transparecer o caos que há no mundo. Na segunda parte, visitámos os jardins e a casa original do tereno, com um estilo muito interessante (arte deco). Por fim, terminámos a visita com um pic-nic dos jardins enormes e belíssimos de Serralves, inspirados nos jardins de Versalhes.

Em suma, foi um dia passado descontraidamente, em boa companhia, muito bem orientados pelas duas guias do museu e sempre acompanhados por um majestoso dia de sol. Uma experiência a repetir!

João Duarte

3. Um fim-de-semana recheado de boas energias

Dom Turno V aNos dias 16 e 17 de maio decorreu mais uma campanha de recolha de alimentos, destinada ao Centro Comunitário São Cirilo. Nesta ocasião, a campanha decorreu no Pingo Doce da Av. Marechal Gomes da Costa, na zona da Foz.

O objetivo desta campanha passava não só por dar a conhecer o Centro e o trabalho que lá se desenvolve, mas sobretudo por angariar géneros alimentares que permitissem reforçar os cabazes alimentares que o Centro diariamente distribui, bem como assegurar a alimentação dos utentes que vivem na instituição.

Enquanto voluntária do Centro São Cirilo foi a primeira vez que participei numa campanha de recolha de alimentos, e os sentimentos que experienciei foram de uma enorme alegria e orgulho, por dar a cara por esta obra. As pessoas foram bastante recetivas em ouvirem-nos e em dar o seu contributo, o que nos dá ainda mais “certezas” de que estamos no caminho certo para a construção de um mundo melhor!

Sofia Mendes