Estes tempos de pandemia apanharam todo o mundo de surpresa e o Centro São Cirilo não foi excepção. A partir do dia 10 de março, em articulação com a Delegada de Saúde e a Segurança Social, decidimos a implementar gradualmente o Plano de Contingência, como medida preventiva de contenção do vírus, o que implicou suspender alguns serviços. Esta decisão foi motivada, sobretudo, pela necessidade de protecção dos utentes que vivem no Centro, tentando minimizar a probabilidade de contágio nesta nossa “casa” comunitária, assim como pela necessidade de proteger os nossos voluntários e outros utentes mais vulneráveis em termos de saúde. Foram 3 meses de porta fechada ao exterior, com distribuição de cabazes e refeições à porta do Centro. Cá dentro, o objetivo principal foi dinamizar atividades lúdicas e formativas para os utentes que vivem no Centro, de forma minimizar os conflitos e continuar a nossa missão da capacitação. Assim, a equipa técnica, com entrega, dedicação e um enorme sentido de missão, procurou, com criatividade, desenvolver e implementar atividades diárias, formação semanal, aulas de português e estratégias de resolução de conflitos, entre outras atividades formativas, culturais e lúdicas.

A partir do dia 1 de junho, o Centro São Cirilo começou a implementar gradualmente o Plano de Desconfinamento, respeitando as medidas de protecção e segurança em vigor, retomando os seguintes apoios:

– entrevistas de pedidos de apoio em alojamento, refeição e cabaz de alimentos

– atendimentos presencias nos Gabinetes (Apoio Social, Emprego, Jurídico, Psicologia)

– visitas domiciliárias

Ainda encerrados e sem previsão de abertura, encontram-se os seguintes serviços: balneário, banco de roupa, gabinete médico, atividades e voluntariado. No entanto, apesar de vivermos tempos especialmente complicados, no Centro São Cirilo sentimo-nos sempre rodeados de muita esperança, amor e luz, através da generosidade de tantos voluntários, amigos e empresas que, pública ou anonimamente, nos foram apoiando com donativos em dinheiro e em géneros. São estes gestos solidários que nos motivam, nestes tempos mais difíceis, a seguir a nossa missão e nos permitem continuar a apoiar aqueles que mais precisam. Muito obrigada!

Mariana de Mariz Rozeira | Diretora Técnica