“O confinamento imposto pela pandemia suscitou uma criatividade desconfinada na equipa responsável pela animação da vida em São Cirilo, ao sugerir que eu pudesse assegurar uma forma de colaboração capaz de garantir a continuação do ensino da língua portuguesa. Este convite implicou para mim o desconfinamento dos meus receios, pois não tinha nenhuma experiência do uso das ferramentas digitais que asseguram o ensino à distância. O confronto com este desafio obrigou-me a desofuscar as minhas dúvidas e a enfrentar o desafio das procuras. Graças ao apoio dedicado e competente da Paula Correia, vim a ser capaz de me servir da plataforma Zoom, com a qual voltei ao contacto com os alunos de São Cirilo. Trata-se de uma experiência nova, que está a revelar-se estimulante. Os métodos de ensino e de aprendizagem tiveram de ser adaptados a esta nova realidade, mas pouco a pouco passaram a constituir um caminho normal de encontro entre o professor e os alunos.

A tempestade inesperada do vírus afeta a todos mas atinge mais dramaticamente as populações mais desprotegidas. Estão neste caso os utentes de São Cirilo. Estou confiante de que esta experiência de ensino à distância poderá facilitar a sua melhor integração, no presente contexto em que esse objetivo esbarra com dificuldades acrescidas. Os desafios para responder a esta situação tornam ainda mais imperativas a dedicação e a criatividade. Como nos exorta o Papa na sua última encíclica, a solidariedade «é uma palavra que expressa muito mais do que alguns gestos de generosidade esporádicos» (Fratelli Tutti, 116).

Espero vivamente que as insuficiências e limites deste tele-ensino/aprendizagem nos levem a apreciar muito mais o calor dos contactos humanos corporalmente celebrados. Que chegue depressa o dia em que eles voltem a ser possíveis.”

Manuel António | Professor Voluntário