Acompanhamos ao longo de dois meses o trabalho desenvolvido no gabinete social com a orientação da Técnica de Educação Social. Esta experiência trouxe-nos até agora uma visão alargada acerca do trabalho desenvolvido com e para pessoas nacionais e imigrantes em situação de vulnerabilidade social. No nosso ponto de vista é esta diversidade cultural que enriquece e desafia o trabalho da instituição. O gabinete funciona todos os dias como parte de um processo institucional mas é, na sua maioria, um porto seguro ao qual as pessoas recorrem com a certeza explícita de que serão ouvidos e orientados.

Para nós o Centro desenvolve uma resposta social desafiadora mas muito bem conseguida. Direciona os sujeitos para uma autonomização plena e consciente, suportada na pessoa/agregado enquanto personagem principal e num percurso apoiado e norteado por um Projeto de Vida. O gabinete social é, no nosso ponto de vista, um gabinete de ajuda e mediação que preza pelos valores da instituição e os transmite aos demais.

Ana Oliveira, Marco Barbosa e Sara Pereira | Estagiários da licenciatura de Educação Social da ESE – IPP